| |

Vinho e Coração


Foi nas doenças cardíacas onde primeiro se observou os efeitos benéficos da ingestão regular e moderada de bebidas alcoólicas, mormente o vinho.Uma quantidade muito grande de estudos epidemiológicos mostra que a ingestão moderada de bebidas alcoólicas , sobretudo de vinho, diminui as doenças cardíacas e circulatórias e as mortes por estas causas entre 40 e 60%. Já se evidenciaram os seguintes mecanismos para a proteção cardiovascular oferecida pelo consumo moderado de vinho.

1 - Aumento do colesterol HDL, principalmente as frações HDL2 E HDL3 - considerado o bom colesterol, pelas ações benéficas que exerce ao sistema cardiocirculatório. Este aumento é tanto na quantidade quanto na qualidade deste tipo de colesterol, cuja composição é rica em fosfolipidios poli-insaturados, como o ácido Omega 3 - reconhecido pelo seu efeito cardioprotetor.

2 - Diminui o colesterol LDL e sua oxidação - situação inicial do processo de aterosclerose.

3 - Diminui a agregação plaquetária e o fibrinogênio e aumenta a atividade fibrinolítica e antitrombina - todas ações que dificultam a formação de coágulo, que é a causa principal de oclusão de vasos sanguíneos. Fato este que causa infarto de miocárdio, derrame cerebral e gangrenas.

4 - Modifica a camada interna dos vasos sanguíneos - o endotélio, alterando a produção de óxido nítrico e diminuindo outras moléculas de adesão ao endotélio, dificultando dessa maneira a aterosclerose.

5 - Aumento da resistencia e elasticidade da parede vascular.

6 - Dilata os vasos sanguíneos diminuindo a resistencia ao trabalho do coração.


Fonte - Coleção Vinhos do Mundo - Livro 14 ( referências bibliográficas encontram-se no livro de número 16 ).
Editora Abril / Publicação Veja
Foto - Revista Adega

0 comentários:

Postar um comentário