| |

Veuve Clicquot


Como nasce, passo a passo um Veuve Clicquot:

1 - Cultivo e colheita - A bebida leva três variedades de uva, plantadas em parte dos 5 quilômetros quadrados da propriedade da Clicquot, na França: a branca chardonnay, além das tintas pinot noir e pinot meunier. A colheita se dá entre setembro e outubro.
2 - Suco - Depois de distribuídas entre os seis centros de vinificação da marca, as frutas são prensadas. Não se misturam uvas de terrenos diferentes. Desse processo surge um suco chamado moux.
3 - Duas fermentações - Sob a maison, em Reims, 24 quilômetros de túneis abrigam as caves. Ali, em barris de inox, a 20 metros de profundidade, ocorre a fermentação alcoólica por meio da ação de fungos. Disso resulta um vinho tranquilo ( ou seja, não espumante ) e não doce. Depois, em outro tipo de fermentação, bactérias diminui a acidez do líquido.
4 - Montagem e engarrafamento - O chef de caves e onze outros enólogos degustam o conteúdo de cada barril. Só então o líquido de diferentes safras e terrenos é misturado, numa etapa chamada de assemblage. Hora de engarrafar a bebida, que recebe levedo ( um tipo de fungo ) e açúcar. É assim que o champanhe se torna espumante.
5 - Ação do tempo - Durante um período que varia entre três (caso do brut padrão ) e oito anos (Grande Dame) a bebida envelhece num ambiente com temperatura controlada - oscila entre 10 e 12 graus - sob a sede, em Reims.
6 - Eliminação de resíduos - A própria madame Clicquot inventou um processo para eliminar resquicios surgidos durante a fermentação. Chama-se remuage. As garrafas são encaixadas em placas de madeira inclinadas e giradas por máquinas todos os dias, ao longo de duas semanas. Esses restos se acumulam no bico dos vasilhames, que são colocados numa solução gelada. O frio o transforma num cubo, expulso assim que se abre a tampa.
7 - Ingrediente final - O champanhe é "dosado", ou seja, recebe o chamado "licor de expedição" para tornar-se mais doce. Chega o momento dos últimos retoques: rótulos, rolhas e a inconfundível tampinha metálica com o desenho da viúva são colocados no produto, que é encaixotado e despachado para todo o mundo.

Fonte / Foto - Veja São Paulo ( Edição Especial )

Nota - Tive o prazer de experimentar este néctar dos deuses, rico em aromas e sabores, adoorei!

2 comentários:

Fabiana Dall'Onder disse...

Olá Leonor!

Muito obrigada!! Andei visitando seu blog e gostei bastante.Suas postagens são bem interessantes!!
Abraços!

Leonor Batista disse...

Que bom, fico lisongeada, ainda mais que o elogio é de uma profissional.
Também gostei bastante do seu blog, prometo que estarei sempre visitando.
Abraços.

Postar um comentário