| |

O vinho e sua longevidade

A longevidade de um vinho depende diretamente do teor alcoólico, do nível de açúcar, da quantidade de acidez e da sua tanicidade, no caso dos tintos. Quanto mais ele tiver álcool etílico, açúcar, acidez e taninos, mais duradouro será. Quanto aos vinhos de mesa, os brancos doces botritizados são os mais duráveis, pela sua grande quantidade de açúcar e de ácidos. Assim, resistem décadas. De todas as classes de vinho, os mais longevos são os generosos (Porto, Madeira, Jerez, Moscatel de Setúbal, entre outros), principalmente os adocicados. Os vinhos tem uma vantagem fundamental em relação aos alimentos sólidos: quando chegam ao seu estágio final, não se estragam nem fazem nenhum mal ao organismo, apenas se perde o prazer de bebê-los, pois o final de vida de um vinho é o avinagramento. Dessa maneira, mesmo muito além do ponto ideal, os vinhos ainda podem servir de ingrediente na preparação de bons pratos.

Fonte - Os Segredos do Vinho para Iniciantes e Iniciados (José Osvaldo A. do Amarante)
Foto - Caratinga.net

0 comentários:

Postar um comentário